Escola de Ciência Política


Essência ou eidos
Setembro 25, 2007, 8:29 pm
Filed under: Contributos filosóficos

Para Edmund Husserl, a essência ou eidos seria, pois, aquilo que no meio da variabilidade se apresenta como invariável ou necessariamente comum. Não se inventam nem se deduzem: veem‑se e contemplam‑se. São dados, coisas que se podem descrever através da fenomenologia, entendida como simples ciência descritiva dessas mesmas essências. As essências das coisas são anteriores à experiência, sendo imanentes aos objectos, isto é, cada objecto possui uma ideia, um valor ou um conceito que a nossa consciência apreende. Por exemplo, para a fenomenologia o dever‑ser constitui no pensamento do direito um seu objecto intencional, sendo assim que ele se nos apresenta imediatamente à consciência. Considerava, assim, que as ciências eidéticas teriam que intus legere, teriam que procurar uma visão das coisas, ao contrário das ciências empíricas , que teriam de conhecer, que estabelecer relações causais entre os fenómenos.

Retirado de Respublica, JAM


Deixe um Comentário so far
Deixe um comentário



Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s



%d bloggers like this: